terça-feira, 27 de julho de 2010

Sonhos de Criança em Espaços Infinitos


Ainda me lembro de quando era apenas uma criança
De quando nada importava a não ser as brincadeiras com os amigos
De quando amigos eram amigos, e o que se dizia era o que se fazia
De quando os sonhos faziam parte dos planos

Tantos sonhos, tantos planos irrealizados, planos que ficaram apenas em sonhos, sonhos que não foram integralmente sonhados.
Alguns sonhos tornaram-se reais, mas perderam a importância e a grandeza dos sonhos de criança.
Ser criança é ter um coração inventor, ter os olhos molhados de esperança na certeza de que amanhã tudo será diferente.


Porém, crescemos...

E o homem que é capaz de alcançar espaços infinitos, se perdeu na necessidade de encontrar um espaço dentro de si mesmo. É preciso desvendar o interior, buscar o tesouro que só existe dentro de nós mesmos.
O homem cresceu tão espetacularmente para fora de si que esqueceu o essencial, o que está por dentro, e isso tornou o homem só, encerrado em seu próprio mundo, com suas tragédias pessoais.
E enquanto buscar tesouros que os ladrões roubam e as traças corroem nada encontrarão. Nada fará você se sentir melhor, a não ser você mesmo. O que você reter de sí, é tudo o que possuirá.
É preciso correr riscos, estar preparado para os planos de Deus, encontrar o tesouro que Ele colocou dentro de cada um de nós, assim retornaremos aos sonhos de criança com a mesma intensidade e simplicidade, alcançando verdadeiramente espaços infinitos dentro e fora de nós mesmos

Um comentário:

  1. Gostei muito do texto, Ana.... Tem um pouco da nostalgia que eu também ando sentindo....
    xoxo

    ResponderExcluir