terça-feira, 9 de dezembro de 2014

ASSIM COMO O PÁSSARO, EU VÔO



Eu sou como um pássaro que voa em direção a tempestade
Ele sabe que vai doer, mas é o seu destino

Em algum lugar tão longe dentro de mim, o pássaro voa
Como eu, ele olha o horizonte e não consegue enxergar além, mas voa...

Mesmo sem saber que o horizonte pode ser logo alí
Indo nas asas do pássaro, o tempo voa, ele leva um tanto de mim
Mas deixa um tanto aqui

O pássaro sabe que o fator determinante da sua felicidade
Não são as escolhas, mas sim as renúncias, como eu também sei
Porém no horizonte que contemplo a minha frente, não enxergo o que me espera
Dor ou alegria, choro ou riso, vida ou morte
Mas, assim como o pássaro, não saberei se não viver

Posso não vir a achar o que procuro, mas vai valer a busca, vai valer o encontro
Vai valer o tempo, vai valer a vida...
Ainda que no final não tenha valido a pena

Assim, como o pássaro, prossigo em meu vôo
Porque todos os dias é um recomeço
E o horizonte que contemplo a minha frente
Se veste de mim para me receber