sexta-feira, 27 de agosto de 2010

COMO UM BALÃO LEVADO PELO VENTO...


"Paralelos jamais se cruzarão...
Estrelas que jamais irão brilhar
Uma busca incessante de incertezas
Planos que nunca serão concretizados
Sonhos nunca realizados"

Quando olho para trás percebo o quanto me busquei pela vida, sem jamais me encontrar
Não só buscava-me como fazia com que os outros me buscasse
Busquei-me em tantos lugares e nunca pude me ver
Quanto mais os outros buscavam-me, mais ainda eu os afastava, porque os fazia errar o caminho.
E assim fui perdendo-me...

Buscava-me incessantemente
Pegava-me tendo lembranças que queria esquecer
Esquecendo de lembranças que deveria conservar
Não estando onde desejava estar e estando onde não deveria

Queria poder filtrar os sons;
Ouvir somente o sussurro do vento, o cantar dos pássaros, o barulho da chuva
Poderia ter me alcançado, mas sentia-me longe
Corria atrás de mim como um balão levado pelo vento...
Nunca me dei conta que eu era o vento, e poderia ir para onde quisesse

Sempre procurei respostas
Ainda busco por elas;
Nas pessoas, na água, no vento...
Ouço o barulho das ondas e penso... o cheiro da brisa e penso...
o bater apressado das asas dos bem-te-vis e penso...
Penso e busco

Ainda hoje me pego em vão tentando me encontrar
Sem mais ter onde buscar, ainda me procuro...
E sigo com o vento!


Nenhum comentário:

Postar um comentário