quarta-feira, 20 de abril de 2016

O “PRA SEMPRE” NÃO DEPENDE DA GENTE



Ainda me surpreendo com aquilo que não deveria ser surpresa
Ainda choro com o que não merece minhas lágrimas
Ainda busco o que sei, nunca irei encontrar
Ainda sonho, com o que não deveria mais sonhar
Ainda...

O sol as vezes se esconde mas ele ainda está lá
Esperando que as nuvens abram espaço para que ele volte a brilhar
Ele pacientemente espera, pois sabe que tem seu lugar

A gente não se dá conta quando diz “pra sempre”
E esquece de viver sozinho
Esquece que o “pra sempre” inclui o outro
E que o sempre do outro foi acabando de mansinho
Então vamos vivendo o “pra sempre” sozinho
Esperando que o “ainda” faça sentido no outro
E que a esperança encontre pouso
Onde as palavras perderam o ninho

As coisas que nem sempre são pra sempre
Nos fazem perder o rumo, a direção
Mas a esperança grita: segue o seu destino
Bata as asas, não olhe para o chão.

O sol sempre há de brilhar
Mesmo que as nuvens demorem a abrir espaço
O “pra sempre” não depende da gente

Mas que o “ainda” seja o nosso lugar.